A Jordan de 1920 a 1945

1920

“Escovamos o país inteiro”

Este foi o lema que a Jordan introduziu no início da década de 1920, sendo que nessa época os responsáveis de marketing da empresa tinham boas razões para fazer essa afirmação. Por essa altura, as escovas da Jordan estavam disponíveis em todo o país. Era possível compras as escovas e vassouras da empresa em todo o lado, até mesmo nas aldeias mais remotas.

1927-1933

A produção e a comercialização de escovas de dentes a partir de 1927

Numa manobra de longo alcance, em 1927 a Jordan introduziu as escovas de dentes na sua já vasta gama de produtos de escovagem. Esta inovação foi introduzida por Hjalmar Jordan, neto do fundador e antigo Presidente do Conselho de Administração da empresa, proporcionando uma dimensão totalmente nova ao negócio. Esta inovação teve origem nas suas muitas viagens ao estrangeiro, onde observou que havia uma grande produção de escovas de dentes e se apercebeu do enorme potencial que este produto representava. A partir dessa altura, Hjalmar Jordan dedicou-se à transformação da empresa, da maneira resoluta e sistemática que lhe era característica. Em termos técnicos tratava-se de uma tarefa extremamente complicada, e os primeiros modelos apenas foram introduzidos no mercado depois de uma sucessão de experiências a longo prazo e de ensaios com resultados favoráveis. Depois de ter aperfeiçoado o produto, a empresa adquiriu um terreno em Sinsen / Løren e construiu a primeira fábrica de escovas de dentes do país, que deu início à produção em 1933. Não tardou até que a Jordan fornecesse mais de metade do mercado de escovas de dentes da Noruega. Dado que os equipamentos de produção tinham sido adquiridos no estrangeiro, era considerado que a qualidade dos produtos estava quase ao mesmo nível que a da concorrência estrangeira.

1930

As primeiras escovas protésicas também foram introduzidas no mercado no início da década de 1930. Nessa altura, o celuloide também começou a surgir e a Jordan decidiu retomar a produção de pentes.

1936

Tendo alcançado um enorme sucesso com as suas escovas de dentes no mercado nacional, em 1936 a empresa deu os seus primeiros passos ao nível das exportações, abrindo um armazém de comissão na Suécia que se dedicava à venda de escovas de dentes, escovas vulcanizadas e algumas escovas finas.

1937

O ano do centenário.

Em 1937 a Jordan celebrou o seu centésimo aniversário, ao mesmo tempo que se estava a transformar numa empresa de monta, tendo produzido 225 000 escovas de dentes nesse ano. Em 1937, o volume de negócios ascendeu a 1,3 milhões de coroas dinamarquesas, e a empresa contava com 144 funcionários.

1938

A 17 de junho de 1938, Hjalmar Jordan faleceu precocemente, com apenas 51 anos de idade. Posteriormente foi honrado, tendo sido dado o seu nome a uma rua de Oslo.

1940-1945

Os anos da Segunda Guerra Mundial

Just before the outbreak of World War II Jordan expanded production and purchased the first moulding machinery in Norway. During the war, the machine produced combs and afterwards it was used to manufacture toothbrush handles in plastic, representing a major advance in the technical capabilities of the company’s manufacturing base. Mesmo antes do início da Segunda Guerra Mundial, a Jordan expandiu a produção e adquiriu a primeira maquinaria de moldagem da Noruega. Durante a Guerra, a máquina foi utilizada para a produção de pentes e, depois da Guerra, foi utilizada para fabricar cabos de escovas de dentes em plástico, o que representou um importante avanço nas capacidades técnicas da base de fabrico da empresa. No entanto, a Guerra deixou a sua marca na empresa. Os novos equipamentos de produção não estavam disponíveis e, tal como todas as outras empresas, a Jordan teve de fazer o seu melhor utilizando maquinaria obsoleta. Além disso, também era importante manter os funcionários unidos, uma vez que a perda de elementos essenciais do pessoal podia dar origem a problemas graves, sobretudo porque a Jordan era a única empresa do seu sector existente no país, o que tornava difícil encontrar funcionários experientes. O fim da Guerra chegou na altura certa, uma vez que a empresa estava a ficar sem matérias-primas e a sua maquinaria estava desgastada; no entanto, a situação estava longe de ser desesperada, uma vez que a empresa ainda contava com os seus funcionários leais e dispunha de meios para investir em novas instalações e materiais.

1920

“Escovamos o país inteiro”

Este foi o lema que a Jordan introduziu no início da década de 1920, sendo que nessa época os responsáveis de marketing da empresa tinham boas razões para fazer essa afirmação. Por essa altura, as escovas da Jordan estavam disponíveis em todo o país. Era possível compras as escovas e vassouras da empresa em todo o lado, até mesmo nas aldeias mais remotas.

1927-1933

A produção e a comercialização de escovas de dentes a partir de 1927

Numa manobra de longo alcance, em 1927 a Jordan introduziu as escovas de dentes na sua já vasta gama de produtos de escovagem. Esta inovação foi introduzida por Hjalmar Jordan, neto do fundador e antigo Presidente do Conselho de Administração da empresa, proporcionando uma dimensão totalmente nova ao negócio. Esta inovação teve origem nas suas muitas viagens ao estrangeiro, onde observou que havia uma grande produção de escovas de dentes e se apercebeu do enorme potencial que este produto representava. A partir dessa altura, Hjalmar Jordan dedicou-se à transformação da empresa, da maneira resoluta e sistemática que lhe era característica. Em termos técnicos tratava-se de uma tarefa extremamente complicada, e os primeiros modelos apenas foram introduzidos no mercado depois de uma sucessão de experiências a longo prazo e de ensaios com resultados favoráveis. Depois de ter aperfeiçoado o produto, a empresa adquiriu um terreno em Sinsen / Løren e construiu a primeira fábrica de escovas de dentes do país, que deu início à produção em 1933. Não tardou até que a Jordan fornecesse mais de metade do mercado de escovas de dentes da Noruega. Dado que os equipamentos de produção tinham sido adquiridos no estrangeiro, era considerado que a qualidade dos produtos estava quase ao mesmo nível que a da concorrência estrangeira.

1930

As primeiras escovas protésicas também foram introduzidas no mercado no início da década de 1930. Nessa altura, o celuloide também começou a surgir e a Jordan decidiu retomar a produção de pentes.

1936

Tendo alcançado um enorme sucesso com as suas escovas de dentes no mercado nacional, em 1936 a empresa deu os seus primeiros passos ao nível das exportações, abrindo um armazém de comissão na Suécia que se dedicava à venda de escovas de dentes, escovas vulcanizadas e algumas escovas finas.

1937

O ano do centenário.

Em 1937 a Jordan celebrou o seu centésimo aniversário, ao mesmo tempo que se estava a transformar numa empresa de monta, tendo produzido 225 000 escovas de dentes nesse ano. Em 1937, o volume de negócios ascendeu a 1,3 milhões de coroas dinamarquesas, e a empresa contava com 144 funcionários.

1938

A 17 de junho de 1938, Hjalmar Jordan faleceu precocemente, com apenas 51 anos de idade. Posteriormente foi honrado, tendo sido dado o seu nome a uma rua de Oslo.

1940-1945

Os anos da Segunda Guerra Mundial

Just before the outbreak of World War II Jordan expanded production and purchased the first moulding machinery in Norway. During the war, the machine produced combs and afterwards it was used to manufacture toothbrush handles in plastic, representing a major advance in the technical capabilities of the company’s manufacturing base. Mesmo antes do início da Segunda Guerra Mundial, a Jordan expandiu a produção e adquiriu a primeira maquinaria de moldagem da Noruega. Durante a Guerra, a máquina foi utilizada para a produção de pentes e, depois da Guerra, foi utilizada para fabricar cabos de escovas de dentes em plástico, o que representou um importante avanço nas capacidades técnicas da base de fabrico da empresa. No entanto, a Guerra deixou a sua marca na empresa. Os novos equipamentos de produção não estavam disponíveis e, tal como todas as outras empresas, a Jordan teve de fazer o seu melhor utilizando maquinaria obsoleta. Além disso, também era importante manter os funcionários unidos, uma vez que a perda de elementos essenciais do pessoal podia dar origem a problemas graves, sobretudo porque a Jordan era a única empresa do seu sector existente no país, o que tornava difícil encontrar funcionários experientes. O fim da Guerra chegou na altura certa, uma vez que a empresa estava a ficar sem matérias-primas e a sua maquinaria estava desgastada; no entanto, a situação estava longe de ser desesperada, uma vez que a empresa ainda contava com os seus funcionários leais e dispunha de meios para investir em novas instalações e materiais.