A Jordan de 1870 a 1916

1870

A introdução do pente de borracha a nível mundial.

A Jordan não estava disposta a investir nos meios de produção em massa necessário para competir no sector dos pentes e, em 1886, o fabrico de pentes chegou ao fim.

1902

A empresa foi transformada numa empresa familiar – a A/S W. Jordan Børste & Penselfabrik.

1910

A Jordan criou um fundo de pensões financiado na íntegra por lucros empresariais, o que constituiu uma inovação invulgar para aquela época.

Em comparação com as condições existentes nessa época noutras empresas, a Jordan era considerada uma boa empresa para se trabalhar. Os funcionários eram bem tratados e a colaboração entre a mão-de-obra e os gestores era excelente. Era raro haver greves e, depois de contratados, os funcionários permaneciam na empresa durante muitos anos; não era invulgar ter-se 60 anos de serviço contínuo. Enquanto empresa, a Jordan era igualmente uma espécie de pioneira a nível social.

1911

Fredrik William Jordan faleceu com 70 anos de idade. Nesse mesmo ano, o seu filho, Hjalmar Jordan (nascido a 10 de abril de 1887), começou a trabalhar na empresa.

Sempre se manteve atento aos desenvolvimentos criados pelos seus concorrentes estrangeiros e investigou novos métodos de agilizar a produção. Posteriormente, o investimento em maquinaria e equipamentos modernos contribuíram para melhorar a competitividade e deram azo a um desenvolvimento adicional.

1914

O início da Primeira Guerra Mundial deu origem a uma escassez de matérias-primas.

Através da sua presciência, enquanto importador experiente e de monta, Jordan garantiu que os armazéns estavam tão bem abastecidos que tiveram capacidade para manter a produção sem interrupções durante os anos da Guerra.

1916

A Jordan muda de instalações.

As instalações da rua Skippergaten tinham-se tornado demasiado pequenas e, consequentemente, a empresa mudou-se para o n.º 71 da rua Waldemar Thranesgate, próximo do rio da cidade. Esta mudança proporcionou oportunidades para agilizar ainda mais a produção, tendo igualmente sido introduzido o aquecimento central. A inovação proporcionada por um elevador interno também proporcionava um novo meio de transporte interno eficiente.

1870

A introdução do pente de borracha a nível mundial.

A Jordan não estava disposta a investir nos meios de produção em massa necessário para competir no sector dos pentes e, em 1886, o fabrico de pentes chegou ao fim.

1902

A empresa foi transformada numa empresa familiar – a A/S W. Jordan Børste & Penselfabrik.

1910

A Jordan criou um fundo de pensões financiado na íntegra por lucros empresariais, o que constituiu uma inovação invulgar para aquela época.

Em comparação com as condições existentes nessa época noutras empresas, a Jordan era considerada uma boa empresa para se trabalhar. Os funcionários eram bem tratados e a colaboração entre a mão-de-obra e os gestores era excelente. Era raro haver greves e, depois de contratados, os funcionários permaneciam na empresa durante muitos anos; não era invulgar ter-se 60 anos de serviço contínuo. Enquanto empresa, a Jordan era igualmente uma espécie de pioneira a nível social.

1911

Fredrik William Jordan faleceu com 70 anos de idade. Nesse mesmo ano, o seu filho, Hjalmar Jordan (nascido a 10 de abril de 1887), começou a trabalhar na empresa.

Sempre se manteve atento aos desenvolvimentos criados pelos seus concorrentes estrangeiros e investigou novos métodos de agilizar a produção. Posteriormente, o investimento em maquinaria e equipamentos modernos contribuíram para melhorar a competitividade e deram azo a um desenvolvimento adicional.

1914

O início da Primeira Guerra Mundial deu origem a uma escassez de matérias-primas.

Através da sua presciência, enquanto importador experiente e de monta, Jordan garantiu que os armazéns estavam tão bem abastecidos que tiveram capacidade para manter a produção sem interrupções durante os anos da Guerra.

1916

A Jordan muda de instalações.

As instalações da rua Skippergaten tinham-se tornado demasiado pequenas e, consequentemente, a empresa mudou-se para o n.º 71 da rua Waldemar Thranesgate, próximo do rio da cidade. Esta mudança proporcionou oportunidades para agilizar ainda mais a produção, tendo igualmente sido introduzido o aquecimento central. A inovação proporcionada por um elevador interno também proporcionava um novo meio de transporte interno eficiente.